Manifesto Eleitoral

Chega de serem sempre os mesmos a papar. Chega de papar mal. Cada português tem direito à sua papa! Se uns defendem papar impostos e subsídios, o Candidato Maizena quer reconfortar os portugueses com uma papa quentinha. O Candidato Maizena quer devolver a papa aos portugueses.

papa quentinha

Musica: "Eu vi um gravado...

Tudo o que precisa saber ...

"There can be only one"

Alguém vai ficar só mesmo...

Vai uma Bimby? Rolhas não...

O Futuro tem um líder!

Candidato Valentim Maizen...

Querem comer o Coelho?

"Eu é que sou o President...

Últimos desenvolvimentos ...

papa requentada

Maio 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

links

Maio 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisar

 

subscrever feeds

O Candidato Maizena

Cria o teu cartão de visita
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!
Sexta-feira, 2 de Outubro de 2009

Traz outro amido também

 

Amido
Maior que o alimento
Por essa colher amido vem
Por essa colher amido vem
Não percas tempo que o milho
É meu amido também
Não percas tempo que o milho
É meu amido também

 

Em tuitérs
Em todos os faicebukes
Seja bem vindo quem vier por bem
Se alguém houver que não queira
Trá-lo contigo também
 
Aqueles
Aqueles que paparam
(Em toda a parte todo o mundo tem)
Em blogues me apoiaram
Traz outro amigo também

 

sinto-me: revolucionário
publicado por ocandidatomaizena às 05:16

link do post | vota no candidato da papa | favorito
3 colheres de papa:
De tresgues a 2 de Outubro de 2009 às 13:00
E pronto... Vim através de uma amiga também! Vim por bem, gostei e até e cantei. Continuação de boas papas.
De Jairo Entrecosto a 2 de Outubro de 2009 às 16:02
A PAPA CONTINUA!
Maizena ao Poder!

Belo poema, partilho outro:

Índios da Meia Papa.

Aldeia da Meia Papa
Ali mesmo ao pé de Lagos
Vou fazer-te uma papinha
Da melhor que sei e faco

Um monte de gordos vieram
Alguns por seu próprio pé
Um chegou de bicicleta
Outro veio de marcha ré

Quando os teus beiços tropecam
No gostinho de uma papa
Em vez de amido vês peças de oiro
Caindo na sopa

Quem aqui vier papar
Nao traga garfo nem faca
Com colheres de barro
Se degusta uma papa

Tu papas todo o ano
Papas bem, papas tudo
Papas até ao tutano
Só não papas sarrabulho

Quem dera que a gente tenha
De Maizena a valentia
Para alimentar a sanha
De empapar a burguesia

De rodrigando a 3 de Outubro de 2009 às 02:37
Gosto das duas ultimas receitas da papa. Já papei e recordei outros tempos e outras papas.

gostou da papa?